domingo, 1 de maio de 2011

O Açoito na Mão

                   


Pecadores são os poetas, que de vasto calo, vão escrever sobre as suas dores, os seus amores... Poeta? Poeta finge, denigre, inflige, mente, inventa, hipnotiza, manipula... Poeta? Poeta sobrevive das suas desgraças mascaradas nas desgraças dos personagens...

                Poeta não exprime, imprime, subjetiva e vai falar de sentimento... Sentimento pra que? Pra preencher o verso, montar as estrofes para ganhar os troféus de aplausos e ganhar um romance, romance? Não, sexo... E, sim, os aplausos, porque poeta que é deveras depressivo, só consegue sobreviver da beleza das suas dores expressas nas rimas dos seus poemas... Não sei fazer rima, não sei montar as linhas com os metros, então não sinto dor?

                Poeta versa as suas ideias pra comprar o pão e pagar os impostos... Não escrevo os meus sentimentos, porque eles não cabem no papel e nem o papel cabe neles, não me contento em uma parte pra representar o todo, porque sempre acaba ideal ou miserável demais. Se escrevo sobre ela, tenho que escrever sobre os meus dias risonhos, enfadonhos, moribundos, porque o que sinto é totalmente mutável e, depois do escrito, eterniza-se como um único sentimento e se torna imutável...

                Pecado! Mentira, porque é parte pelo todo, porque há dias que me sinto depressivo, quase morto, aproximando-se do inerte, o zero absoluto, mas há os dias que a vida sorri pra mim e viver é a experiência mais fantástica que existe...  Então varia, dependendo dos dias que eu faço força ou não para me levantar da cama, também varia nos dias que quem faz a força é ela... Então não se pode escrever sobre o amor falando somente de dor ou felicidade, porque há dias...

                Nos dias que tu alimentas os meus vícios de longo fôlego, meu amor vira luxúria... Nos dias que tu me machucas, o amor vira dor... Nos dias que lutamos pelos sorrisos e rolamos na cama como se fôssemos eternos, o amor permanece amor. E, digo-te, quando permanece amor, vale a pena todos os dias de sangue.

                Isso não se pode escrever no papel, porque isto aqui não é diário de bordo, é poesia, um manual de instruções, ensina-te a me montar pelo todo que é parte do meu eu...

Não sou poeta, sou um amador iniciante, e sempre o serei, que usa as mesmas ferramentas para fins diferentes. Eu não produzo, eu fagocito.

13 comentários:

  1. subjetivamente objetiva (:

    ResponderExcluir
  2. texto cheio de contradições,
    de palavras complexas, cheio de detalhes,
    cheio de "ser ou não ser, eis a questão!"
    uma biografia, uma obra.
    gostei muito.
    *um bejo pra moça linda e ciumenta que estava narrando o texto

    ResponderExcluir
  3. tao linda a voz. combinou perfeitamente com a poesia. huasuh se a narradora quiser me add .. penoia@hot... husahuasuh

    ResponderExcluir
  4. Caramba flá, que texto lindo, que voz linda.Senti todo o sentimento expresso nesse texto.Tá de parabéns!

    ResponderExcluir
  5. O texto tá muito bem escrito , e a Flavia ler traz um sentimento pra tal que só resta dizer Parabéns

    ResponderExcluir
  6. um texto como esse é daqueles de dar vertigens,agônias e ao mesmo tempo prazer,alívio,é como traduzir a alma...
    magnífico...eu o traduzo

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito de quando você fala dos dias que podem ser ruins, bons, ou até mesmo depressivos. Acho que seu texto não é de um poeta, mas de um homem que sente, que ama. Parabéns pelo texto, e pelo todo incluindo a voz.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. "Então não se pode escrever
    sobre o amor falando
    somente de dor ou felicidade,
    porque há dias.."

    é, esse texto ficou ótimo! Como eu sempre digo, botar sentimentos em frases, sentimentos de um poeta e tudo mais.. Quem dera eu conseguir isso. E com a flavia narrando entao? Haha, ficou realmente bom

    ResponderExcluir
  10. Gosto da parte tbm q vc fala do dias em q nos sentimos bem e dias q se sentimos depressivo , concordo cm vc existe dias q nos sentimos a pior pessoa do mundo e q sumir seria a melhor coisa q ia acontecer pra esquecer das perdas ou algum fracasso q vc cometeu , e dias q viver é a melhor coisa q pode acontecer , mais pq sumir ?? , pq ñ somos forte o suficiente pra superar perdas e fracassos ou seja encarar de frente e olhar q o maior fracasso q pode acontecer é vc dezistir pq perdeo .Vei a vida é cheia de vitórias mais tbm de fracassos mais ñ é por isso q temos q dezistir dos nossos objetivos vc perdeo hj mais pode chegar o dia q vc vai ganhar.

    ResponderExcluir
  11. adoro a plasticidade da sua poesia nao poesia
    é como comer algodão doce!

    ResponderExcluir
  12. "Pecado! Mentira."
    Pecado, mentira. Pecado, mentira.
    Teu textos andam ficando cada vez melhor e andam mostrando cada vez menos quem você é, porque em alguns textos te encontro em plenos momentos de tristeza e te encontro em plenos momentos de alegrias. Porque há dias...
    Parabéns para você e também para a @anacronika que postou em seu twitter aquele post antigo e desde então quando vejo que aqui tem nova postagem venho correndo. Um par.

    "Nos dias que tu me machucas, o amor vira dor..."

    ResponderExcluir